quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Bumba Meu Boi com Material Reciclado- Lenda do Folclore Brasileiro

O desfio era construir um personagem do folclore brasileiro com material reciclado para comemorar o dia do folclore (22/08).
Então aqui está o Bumba meu Boi, construído em parceria com minha pequena...
Usamos garrafa pet para a cabeça, caixa de papelão para o corpo e pedaços de embalagens de shampoo para enfeitar o corpo.




Lenda do Bumba Meu Boi (Fonte: Diário de Bordo - Maranhão Único)
“Catirina que só quer comer da língua do boi/ Carne seca na janela, quando alguém olha pra ela pensa que lhe dão valor/ Ai, Catirina, poupa esse boi...”. Ouvir a música “Catirina”, do cantor maranhense Josias Sobrinho, me faz pensar na história do bumba-meu-boi, que combina elementos de comédia, drama, sátira e tragédia.
A dança surgiu no século XVIII e é resultado da união de elementos das culturas europeia (espanhola e portuguesa), africana e indígena. Misturada com teatro, a dança conta, através dos acontecimentos que permeiam a vida, morte e ressurreição de um boi, as relações sociais e econômicas durante o período colonial e marcadas pela monocultura, criação extensiva de gado e escravidão. 
A história do bumba-meu-boi é a seguinte: um rico fazendeiro branco — o Amo — possui um boi muito bonito — o Mimoso. Pai Francisco, um trabalhador negro da fazenda e homem apaixonado, rouba o boi para satisfazer o desejo da sua bela e vaidosa mulher — Mãe Catirina, a cabocla que se acha “a última carne seca de um sertanejo”. Ela está grávida e sente uma forte vontade de comer língua de boi. Como diz um trecho da música de Sobrinho, “a saudade é traça, estraçalha o coração, e mulher bonita é chave de prisão”. 
O Amo sente falta de Mimoso e manda vaqueiros e campeadores o procurarem com ajuda das índias, que conhecem bem as matas. Ao descobrir que o boi está morto, ele pede que pajés o ressuscitem. Cantos místicos são entoados e o boi ressuscita urrando. Sabendo das reais intenções de Pai Francisco, que foi o amor que o levou a matar o boi, o Amo o perdoa e todos comemoram o renascimento do novilho. 
A música termina assim: “E lá vai meu boi arrastando a barra, a maré esbarra no meio do Boqueirão, levando um recado pro meu senhor São João, lá na capital São Luís do Maranhão”. O bumba-meu-boi é uma dança folclórica típica do Norte e Nordeste e sofre pequenas alterações em cada Estado. A história que vocês acabaram de ler, é a história da terra de Josias Sobrinho. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, obrigada pela visita!!!
Fico muito feliz com os seus comentários...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...